Arpège, Lanvin

Imagem

 

Que linda evolução a do Arpège! Comprei ressabiada, achando que não me agradaria. Puro engano! É um desses perfumes quentes, especiados, que evoluem lentamente e com beleza! Ora suas especiariais se revelam, ora suas madeiras preciosas, ora seu rico e bem estruturado buquê floral. O sândalo da base vem mais “seco”, severo, mas não menos feminino e gracioso. E o frasco? Em vidro negro, com o icônico símbolo da maison Lanvin, a eterna brincadeira e enlace de mãe e filha. Minha mãe usou esse perfume nos idos dos anos 50/60, e eu, em 2012, resolvi tê-lo em minha coleção. E ao sentirmos o mágico odor juntas, entendi o significado do símbolo da maison.
Jeanne Lanvin o encomendou para comemorar os 30 anos de sua filha Marie-Blanche, uma pianista virtuosa, daí o nome do perfume, Arpège. Em 1990, o perfume foi reformulado e sua formulação teve leves alterações.
Pode ser considerado um perfume datado, “retrô”, porém não apresenta notas atalcadas, tão típicas dessas fragrâncias. O que sinto são notas florais secas, picantes e especiarias, como o cravo-da-índia e o coentro. O sândalo é bem evidente e suntoso. Profundamente feminino, eu me atreveria a dizer que é um ode às mulheres de faixa etária já eternizada por Balzac.
Anúncios

6 comentários sobre “Arpège, Lanvin

  1. Diana, Tom Ford dirigiu um filme — muito melancólico por sinal, com linda atuação de Colin Firth — chamado “Direito de Amar” (“A Single Man”), e além do apuro estético para roupas, nota-se que Mr. Ford é um tremendo perfumólatra, fazendo jus a grife de nicho que leva seu nome.

    Numa das cenas do filme, o protagonista chega à Universidade em que ministra aulas e ao cumprimentar a bela recepcionista do departamento, inebriado com o perfume dela, dando uma looooooooonga cheirada no entorno, diz: “hmmm, Arpège!”. O filme se passa na década de 60, e adorei a referência!

    Quanto ao perfume em si: é outro que está em minha wishlist.

    Beijos!

    • Adorei saber dessa curiosidade cinematográfica, Rafaella! Podemos fazer um post da relação dos perfumes com a 7 arte, no mais recente Watchman, inspirado na HQ, também tem uma linda cena com o fictício perfume “Nostalgia”!!!!
      Vou buscar tal filme! Beijos e obrigada pelas visitas!

  2. Quando senti o Arpège pela 1ª vez levei um baita susto com a saída dele,mas,depois que essas primeiras notas somem que perfeição de perfume!Elegantérrimo!Dou algumas borrifadas dele nos travesseiros do meu quarto o que são suficientes p/ deixá-lo cheiroso o dia inteiro…Linda resenha Diana!

    • Também estranhei a intensidade do Arpège no início, mas logo descobri a riqueza aveludada desta preciosidade! Obrigada pelo elogio e venha sempre vistar! Se eu fizer isso nos travesseiros aqui meu marido me mata, rsrsrs!

  3. Tem um tópico na APP, “Perfumes na TV e cinema”, e além da referência ao Arpège no filme de Tom Ford, complementei com outros filmes e obras literárias que conheço. Como você é membro, depois dê uma olhadinha. Beijos!

    P.S. Estou em falta com seu blog, tenho muita leitura para pôr em dia aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s