J’Aime La Nuit, La Perla

Algumas marcas de lingerie famosas pecam pelo exagero e pela cafonice. E sim, acabam passando isso para os perfumes que levam seu nome. Não é o caso da La Perla. Visitei o site da marca e vi que suas criações continuam deslumbrantes e cheias de classe!

A perfumaria La Perla até hoje não me decepcionou, gostei de todos que conheci! Estou agora na ‘missão’ de redescobrir meus perfumes, encontrar aqueles que estão lá no canto quase sem uso. Hoje encontrei-me com o J’Aime La Nuit: frasco de 30 ml que parece uma miniatura, linhas retas e classudas, cor entre o negro e o violáceo – depende da luminosidade que recebe.

A primeira impressão foi de algo ‘comestível’, fiquei procurando um nome para tal gostosura e pensei em nougat, mas não exatamente. Senti cheiro de frutinhas roxas, seria mirtilo? Seriam uvas daquelas quase pretas, miúdas e bem doces (acredito que o nome seja Santa Isabel)? Logo veio o cheiro de rosas polvorosas, um tiquinho de jasmim só pra dar graça e outro quê floral que já senti em muitos perfumes mas nunca sei nomear.

E justamente aqui vou pra outro ponto: uma vez, em um grupo do facebook voltado para a perfumaria, comentou-se que muita gente faz resenhas de perfumes sem ao menos conhecê-lo, apenas usando informações do Fragrantica ou outros sites especializados. Acho isso o fim! Como falar de algo que não se conhece? É como falar do gosto de algo que nunca comeu! Mas enfim… Lá comentei que sim, uso o Fragrantica para listar as notas olfativas oficiais, data de criação e esses dados técnicos que acho importantes constar nas resenhas. Fazer resenha baseada nas opiniões de um site, nunca!

Voltando aquela nota floral que eu não sei nomear, lembra? Então… aí vi uma coisa interessante:  já senti esse cheiro em outros perfumes. E sempre que vou ver as notas oficiais da coisa me deparo com a orquídea! Então, essa flor adoçada, macia, profunda e quente é uma orquídea! Preciso ir urgente a algum orquidário ou ao Ceasa cheirar loucamente flor por flor me apresentar formalmente pra tal integrante da família Orchidaceae

J’Aime La Nuit tem traços do Insolence, do Le Petit Robe Noire e do Joop! Le Bain. Tem em muitos momentos o atalcado róseo amendoado que me lembra cheiro de óleo infantil, tem a abertura rosa-flúor, tem uma doçura que milagrosamente, não vem de baunilha! É ambarina e amadeirada, sem deixar de lado o ‘picante’ de suas notas florais. Tem frutinhas maliciosas, coloridas, suculentas e pequenas, pra caber na boca de uma só vez!

Foi um grande reencontro, J’Aime La Nuit! Te verei mais vezes…

Perfume criado em 2008, suas notas olfativas oficiais são:

Notas de saída: pera nachi, flor de uva, rosa, cardamomo

Notas de coração: rosa, jasmim, orquídea.

Notas de fundo: âmbar, madeira Cashmere, madeira Amyris.

Jeux de Peau, Serge Lutens

Jogos de Pele… deixe sua imaginação fluir um pouco e ver no que vai dar. O que é um ‘jogo de pele’ para você? Para o Sr. Lutens é algo leitoso, úmido, morno, picante, exótico, sedoso.

O perfume foi criado em 2011 e é um pouco difícil de achar.

A cor do líquido (alguns perfumes SL são bem coloridos, vamos colocar. São do tipo que mancham a roupa de você não tomar cuidado) tem cor hoje nomeada de ‘nude’. E sim, vejo como um perfume feito para se passar com o corpo nu, antes do rito da vestimenta. É pra ir criando intimidade…

Começa cheirando a leite morno com canela em rama, leite de coco recém extraído, cereais e flores tostados. Algo de leite de aveia…

Mais tarde apresenta especiarias, notas ambarinas e amadeiradas.

E o tempo todo tem textura! Isso mesmo, é um cheiro com textura! É como afundar os dedos em algo macio e úmido, adocicado. É como cortar um pão-doce quente, que acabou de sair do formo, daquelas tranças de massa levemente doce cobertas de coco ralado e creme!

A projeção do Jeux de Peau é razoável, e a fixação idem. E nem queria mais, afinal, um ‘jogo de pele’ tem certo limite de duração, senão perde a graça! Tem que deixar gosto de ‘quero mais’, não pode exaurir as possibilidades! É mais agradável seu cheiro de perto, combina tão bem com o cheiro natural da pele…

E para mim, o que é um ‘jogo de pele’? Tanta coisa… colo de mãe/pai/avó,  abraço de um amigo que você não vê faz tempo, brincadeiras de crianças, o enlace dos amantes… a pele é nosso maior órgão, é ela que nos possibilita tantas sensações. E a ela, Serge Lutens faz uma ode!

Notas de saída: leite, trigo.

Notas de coração: coco, alcaçuz, immortelle.

Notas de fundo: osmanthus, sândalo, âmbar, especiarias, notas amadeiradas, damasco.

Do projeto ‘O Beijo dos Amantes’, de Claire Streetart.

 

 

 

Headspace – mas que técnica é essa?

Hoje mesmo li no excelente post do blog Perfume Bighouse citação a técnica Headspace. Mas o que seria isso?

Vou reproduzir aqui texto originalmente publicado neste link, que explica muito bem o processo de tal técnica!

Aromas da natureza são capturados e reconstituídos pela indústria do perfume

À meia-noite, completamente aberta, a flor Hoya atinge seu ápice de qualidade e lança na atmosfera uma estonteante mistura de aromas florais com nuances de chocolate e cacau, combinados como notas de uma sinfonia. Exceto por algumas espécies animais que podem apreciar este momento, e guardá-lo na memória olfativa, somente a indústria do perfume é capaz de capturar tamanha complexidade olfativa e, também, de sintetizá-la, arquivá-la e usá-la na composição de seus produtos.

“Não apenas a quantidade, mas também a qualidade do perfume exalado pela flor ou planta pode depender da hora, um aspecto muito importante para a reconstituição de tais perfumes”, explica o perfumista Roman Kaiser, que há cerca de 40 anos trabalha para a Givaudan, primeira indústria de fragrâncias e aromas no mundo. Esse suíço dedica-se a explorar florestas tropicais, em busca de novos compostos e combinações para a indústria do perfume, com o toque de um artista. A técnica headspace, desenvolvida por ele na década de 1970 e hoje praticada por especialistas em todo o planeta, consiste em absorver alguns microgramas de moléculas responsáveis pela produção de odores, seja de uma flor, folhas, cascas ou mesmo de cenários olfativos, como os cheiros de uma floresta ou de uma incrível doceria. O material coletado passa, já no laboratório, por diversas leituras químicas (cromatografia gasosa, espectrometria de massas e outras técnicas) que identificam as moléculas e proporções responsáveis por criar aquela identidade olfativa. Com a “receita” em mãos, Kaiser recompõe uma fragrância similar a original. Por vezes, o especialista precisa sintetizar moléculas únicas para compor uma nota.

Apenas na empresa franco-suíça em que Kaiser trabalha, cerca de 1500 acordes (ou mistura de cheiros) já foram recompostos, dos quais cerca de 300 puderam ser utilizados em produtos. Forma-se, assim, uma verdadeira biblioteca olfativa, constantemente alimentada, sem que, para isso, seja preciso matar uma planta sequer. Isto porque no caso de uma flor, por exemplo, basta envolvê-la em um recipiente de vidro, adaptado ao seu formato, para que a bomba de sucção trabalhe de trinta minutos a duas horas aprisionando sua mistura de cheiros (acorde), responsáveis pela informação captada por nosso olfato.

A alta sensibilidade do headspace evita que uma grande quantidade de flores ou materiais diversos, como galhos, folhas, cascas e outros, sejam necessários para produzir as fragrâncias. Para se ter uma idéia dessa economia, cem quilos de flores são necessários para obter um quilo de essências florais, como no caso do ylang-ylang, cujo rendimento é de 0,5% e custa no mercado mais de US$ 300 o quilo do óleo essencial. No caso do conhecido jasmim, o mesmo peso de flores produz apenas 300 gramas de essência e seu valor atinge US$ 2 mil por quilo. De quebra, a técnica contribui para a preservação do meio ambiente e amplia a gama de possibilidades para a indústria de perfumaria. Estimativas dão conta que pelo menos 10% das espécies da flora mundial estejam em perigo eminente de extinção e, junto com elas, seus odores.

Não bastasse a dificuldade em localizar raros acordes após horas de caminhadas mata adentro, a equipe de Kaiser conseguiu alcançar a copa das árvores para extrair o que elas têm de melhor. “As expedições são uma questão de estratégia para identificarmos novas fragrâncias e aumentar nosso leque de extração”, afirma. “As moléculas identificadas nas expedições não são novas, mas auxiliam na composição de novas mesclas e também de representar uma nota [caracterização de um aroma] vinda de um novo país”, diz Maria Helena Kampen, especialista em tecnologia aplicada da Givaudan, referindo-se a possibilidade de um produto representar a identidade de uma nação.

Roman Kaiser trabalha atualmente no livro ‘Vanishing Flora – Lost Chemistry’ que será uma compilação das composições químicas das fragrâncias e informações adicionais sobre flores e plantas de florestas tropicais, obtidas em 25 anos de explorações da equipe do perfumista.       

Germana Barata

  GLOSSÁRIO

NOTA DE TOPO – moléculas voláteis que causam o primeiro impacto, duram de alguns minutos a cerca de 2 horas.

NOTA DE CORPO – moléculas de maior densidade, duram mais tempo, de 4 a 5 horas antes de volatilizarem. São geralmente sesquiterpenos de 15 carbonos, álcoois e cetonas.

NOTA DE FUNDO – moléculas pesadas, são os chamados fixadores, ou seja, as que mantêm o perfume por mais tempo. Duram de 7 a 8 horas. São os diterpenos e derivados com nitrogênio.

ACORDE – o acorde é uma mistura de matérias-primas ou notas. Um exemplo são os cheiros amadeirados ou florais.

FRAGÂNCIA – Uma fragrância pode ser composta por muitos acordes, como um perfume.

 

Mais uma vez, texto extraído deste site.

Para saber mais: entrevista com o inventor da técnica, Roman Kaiser, aqui.

 
 

 

 

Os body splashs da Parallèle

Recebi da marca Parallèle um kit com 3 body splashs. Eu, que raramente usava body splashs ou colônias, aderi fervorosamente e explico o motivo: meu marido tem enxaqueca. Se a noite eu usar um perfume mais intenso o menino não dorme, ou pior, fica com uma dor de cabeça daquelas. Então minhas noites ganharam novas companhias, as colônias e os splashs que deixam a pele levemente perfumada e fresca após o banho.

Recebi da Parallèle 3 cheirinhos: Framboesa com Chantilly, Doce de Pera e Limão com Baunilha.

E vamos lá, palpitar sobre cada um deles!

Doce de Pera: embora splashs e cremes com cheiro de pera não sejam minha preferência, esse eu gostei. Sabe por que? Ele não tem aquele cheiro absurdamente artificial de pera e nem é tão doce. Ele tem cheiro de compota de pera e lá no meio tem uma coisa verdinha, meio verbena, meio capim limão. Usei ele além no quarto antes de dormir (sou dessas, borrifo colônias como aromatizadores de ambiente) e o cheirinho ficou ótimo!

Framboesa com Chantilly: roubou meu coração! Me trouxe tantas memórias infantis boas… Logo que espirrei na pele senti aquele turbilhão de frutas vermelhas, balinhas, jujubas e toda sorte de docinhos (juro que lembrei da saída pink-neon do Insolence). Entre eles estava o Dpin’Lik (lembram do pirulito que a gente lambia e depois molhava no açúcar? Aquela deliciosa lambança infantil sabor cereja!). Depois ainda senti o cheiro PERFEITO da boneca da coleção Moranguinho, a Cerejinha. Parallèle, te amei por isso! E dura na pele viu? Mais de 3 horas!

    

Limão e Baunilha: esperava algo mais intenso. Mas ele é limão de Sprite docinho, baunilha acanhada e discretíssima! Fica na pele um cheirinho confortável, como de fosse um talquinho achocolatado! Perfeito para dormir!

Gostei dos produtos da marca. Vi no site que eles também têm sabonetes, aromatizadores de ambiente, geléias corporais, enfim, toda linha de cuidados. Vale a pena conhecer!

Parallèle, obrigada por apresentar produtos nacionais de qualidade para o blog Aloucadosperfumes!

Imagens retiradas dos links:

http://daminhaepoca.com.br/pirulito-dipnlik-o-sabor-dos-anos-80-esta-de-volta/

http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-565386758-boneca-cerejinha-coleco-moranguinho-da-estrelaanos-80-_JM

Site da marca:

http://www.parallelevirtual.com.br/

Fragrances, o bar do Hotel The Ritz-Carlton, em Berlin

Imagina combinar o perfume que está usando no momento com um drink? Pois é o que faz o bar Fragrances, do hotel Ritz-Carlton. Segundo o site do empreendimento:

“O primeiro bar em todo o mundo para todos os sentidos!
Vamos encantá-lo no nosso novo bar com bebidas com base em fragrâncias exclusivas e memórias pessoais. Fragrâncias é o primeiro bar dedicado à arte de cocktails em combinação com o mundo dos perfumes e aromas. Escolhidas a dedo, fragrâncias de marcas de renome como Giorgio Armani, Yves Saint Laurent e Guerlain são a inspiração para as bebidas exclusivas criadas pelo gerente de bar Arnd Heissen. Siga os seus sentidos e escape de sua vida cotidiana no The Ritz-Carlton, Berlin.
Delicie-se com uma experiência sensual exclusiva com cocktails e fragrâncias!”

The 'Fragrances' bar at the Ritz-Carlton, Berlin (Ritz-Carlton)

Mais informações nos links:

http://www.ritzcarlton.com/en/Properties/Berlin/Dining/Fragrances/Default.htm

http://www.canoe.ca/Travel/Activities/ResortsCruises/2014/06/20/21757076-relaxnews.htmlhttp://www.canoe.ca/Travel/Activities/ResortsCruises/2014/06/20/21757076-relaxnews.html

http://pursuitist.com/ritz-carlton-berlin-unveils-perfume-inspired-cocktail-bar/

 

Chinatown, Bond N° 9

Entre as amostras luxuosas gentilmente cedidas pela amiga Andrea Faria estava o Chinatown.

Foi lançado em 2005, inspirado na Dinastia Ming e criado por Aurelien Guichard. Teve também uma edição comemorativa de 50 ml cravejada de cristais Swarovski

Chinatown é estranhamente bom. Começou com uma ondinha cítrica seguida de um turbilhão de flores brancas. Elas vão chegando sozinhas, depois aos pares, e logo está lá uma multidão delas! Gardênia, flor-de-laranjeira, tuberosa! E perdida ali no meio, uma nota frutal adocicada e sintética que não sei o nome, mas digo que junto com as flores brancas forma um acorde interessante: cheiro de batom aromatizado de frutas. Isso mesmo, aquela coisa que não é comestível, mas mesmo assim desperta a oralidade e dá vontade de ‘colocar na boca’, sabe?

E o tempo todo senti nele essa coisa cerosa, sintética e gustativa do batom de fruta. Claro que as flores brancas não deixam por menos, toda hora estão ali acenando, ora é a tuberosa, ora é a gardênia, depois a bela flor-de-laranjeira!

Depois de algumas horas senti tonalidades amadeiradas leitosas, cremosas. Depois alguma especiaria levemente picante, como um curry doce! Patchouli escondido entre as saias das flores brancas, ponderado e elegante. Coisa rara no patchouli…

O interessante é que tudo em Chinatown me parece sintético propositalmente. Não sei explicar, mas tudo nele é falsamente equilibrado. E esse acorde ceroso, gente, de onde vem? Parece manteiga de pétala de gardênia com casca de alguma fruta carnuda guardada em embalagem de borracha! É uma coisa meio ‘as flores de plástico não morrem’

Outra coisa: essas flores na embalagem são de pessegueiro ou de cerejeira? Seria isso? A mistura entre o cremoso das flores brancas e o contraste doce-azedinho-sumarento de frutas imaginárias? E essa coisa emborrachada, é das madeiras?

E Chinatown me fez viajar pra longe, para lugares de frutas sonhadas, de flores insidiosas e madeiras temperadas e gotejantes! Me fez ver que os cheiros que consideramos ‘sintéticos’ ou  ‘naturais’ são impressões vindas de vivências e experimentações anteriores.

Coisa bonita esse Chinatown, viu?

Notas de saída: bergamota, flor de pessegueiro.

Notas de coração: tuberosa, peônia, flor-de-laranjeira, gardênia.

Notas de fundo: patchouli, cedro, sândalo, madeira guáiaco, baunilha, cardamomo.

Perfume na sala de aula!

Nunca contei pra vocês, mas atuo em uma empresa do ramo educacional, voltada ao ensino superior. E conheço muita gente que trabalha na área pedagógica. Daí pensei: já pensou que interessante se o assunto ‘perfume’ fosse abordado em sala de aula? São tantas abordagens: história, química…

Por isso, amigo educador, Aloucadosperfumes trouxe links interessantes! Tem animação, tem aula interativa, tem atividades, tem modelo de aula…

E não só para docentes, para todo mundo! Somos todos alunos, sempre! Vamos aprender um pouco mais?

http://condigital.ccead.puc-rio.br/condigital/index.php?option=com_content&view=article&id=582:substancias-quimicas-animacao-perfumes-processo-de-fabricacao-a-partir-de-oleos-esseciais-&catid=18:animacoes&Itemid=99 – deliciosa animação sobre a história da perfumaria.

http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=1421 – proposta do MEC de aula de química para ensino médio. Tem atividade interativa!

http://web.ccead.puc-rio.br/condigital/video/a%20quimica%20do%20fazer/cosmeticos/perfume/guiaDidatico.pdf – guia didático desenvolvido pela PUC – Rio. falando de perfumes na aula de química! Tem até cruzadinha!

https://i2.wp.com/cultura.culturamix.com/blog/wp-content/gallery/laboratorio-de-quimica/laboratorio-de-quimica-10.jpg