Pomander (pomme d’ambre)

Pomander: do francês pomme d’ambre (maçã de âmbar) é um recipiente geralmente arredondado e de superfície perfurada feito para conter substâncias aromáticas, como âmbar (daí o nome), almíscar ou ervas aromáticas. O pomander foi usado como uma proteção contra a infecção em tempos de peste ou simplesmente como um artigo útil para modificar os maus cheiros corporais e ambientais. Os pomanders “pessoais”podiam ser pendurados em uma corrente ou fita e levados junto ao corpo, ou presos a uma cinta e usados por cima da vestimenta. Eram geralmente perfurados e feitos de ouro ou de prata. Por vezes eles continham várias partições (de 4 a 8), em cada um dos quais foi colocado um perfume ou material aromático diferente.

O pomander pode ser considerado uma forma primitiva de aromaterapia.

Foram mencionadas pela primeira vez na literatura em meados do século 13 (recomendo site que mostra imagens de um exemplar do século 14: http://www.kornbluthphoto.com/ThirteenthFifteenth6.html). Eles foram usados ​​no final da Idade Média até o século 17, inclusive na época da Grande Peste Negra, que dizimou aproximadamente 1/3 da população européia. Algumas fontes literárias citam que os primeiros usos dos pomanders eram de finalidade religiosa, para perfumação e purificação do ambiente eclesiástico.

File:Rosary with pomander.jpg

Na corte dos séculos 15, 16 e 17, nobres costumavam usar cintos com diverso pomanders. Claro! O banho era coisa rara e as doenças eram bem comuns. Era preciso espantar as pestilências e espantar os maus odores…

O Jornal de Arqueologia, (volume 31, 1874, página 339) descreve uma fórmula para fazer um pomander  que também foi escrito e publicado por Frederic Madden: os ingredientes eram os seguintes: estoraque, calamite, labdanum, benjoim. Estes itens acima deveriam ser moídos até virar pó. Em seguida dissolvidos em água de rosas e colocados em uma panela de cozedura. A mistura, ao ser removida do fogo devia ser “enrolada” na uma forma de uma maçã e pulverizada com uma mistura de canela doce e cravo. Algumas outras “receitas” ainda levavam ingredientes derivados de animais, como almíscar ou algália.

Até Nostradamus escreveu certa vez uma “receita” de matéria para uso em pomanders! Seu método para fazer “bolas aromáticas”: reunindo um quilo de rosas sem as cabeças de flores, e sete onças de benjoim chão. Deve-se colocar as rosas em imersão na água almiscareira por uma noite. Em seguida, retirar as rosas e espremer completamente a água. Em seguida, triturá-los com o benjoim. Durante a moagem, colocar um quarto de âmbar cinzento e outro de algália ou almíscar. Depois da moagem, moldar “comprimidos” e colocar cada um entre duas pétalas de rosa. Então você secar os comprimidos longe do sol.

…………

Quem assistiu ao clássico filme “O Bebê de Rosemary” de Roman Polanski deve-se lembrar do colar que Rosemary ganhou da sua velhaca vizinha recheado de raiz de tannis (suposta planta relacionada ao culto satânico)! Eis um pomander de uso pessoal!

É fria, Rosie, taca fogo!

Já li algo sobre terços feitos de material aromático, tais como as pastilhas de Nostradamus…

Eu tive a sorte de ganhar do meu marido a releitura que a L’Occitane fez dos pomanders utilizados em residências elegantes (leia: ricas)e igrejas nos séculos 16 e 17, que tinham de 4 a 8 compartimentos para abrigar os mais diversos materiais aromáticos (os mais comuns eram: agarwood, âmbar cinzento, bálsamo, benjoim, cálamo, cânfora, canela, civeta, cravo, goma arábica, tragacanto, labdanum, lavanda, manjerona, almíscar, noz-moscada, clava, raiz orris, óleo de rosa, alecrim, styrax).

Imagem

Imagem

Dentro do meu amado pomander tem daqueles incensos de barrinhas, uma vez que ainda não consegui nada mais digno dele, mas estou tentando…

Atualmente utiliza-se como pomanders os sachets com essências naturais ou artificiais ou até mesmo frutas com especiarias, como é o caso das conhecidas laranjas enfeitadas com cravos da índia, utilizadas para repelir insetos e perfumar mesas em datas festivas. Existem também pomanders feitos de tecido aromatizado ou flores que são muito comuns em festas ao ar livre. Mas nem se comparam aos antigos não é?

  

Fontes:

http://www.larsdatter.com/pomanders.htm

http://www.kornbluthphoto.com/ThirteenthFifteenth6.html

http://en.wikipedia.org/wiki/Pomander

Indicação de Bibliografia:

Perfume and Pomanders: Scent and Scent Bottles Through the Ages, E. Launert (comprei em um sebo aqui do centro de SP, em prefeitas condições).

Imagem

Imagem

Anúncios

4 comentários sobre “Pomander (pomme d’ambre)

  1. Quando eu era criança, minha mãe me colocava pra “cravejar” maçã. Eu passava o dia espetando cravos na frutinha (eu escolhia uma bem pequena, porque né, aquilo detona os dedos). Nunca fiz com laranja. Nunca mais fiz nem com maçã. Vou retomar. O cheiro que fica no ar é mágico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s