Parfum D’Ete, Kenzo

Imagem

Fresco, verde, limpo, arejado! Parfum D’Ete, para os dias quentes, é a perfeição! Hoje é um desses dias, amanheceu nublado, abafado e quente, um verdadeiro forno! Aliás, acho que esse verão será infernal, mas ok, não estamos aqui para falar do clima…
Mesmo assim registro minha queixa: odeio calor!
Voltando ao Parfum D’Ete. Faz tempo, tive uma miniatura dele. Folhinha pequena, delicada. Usei até o final, e depois acabei ganhando um frasco de 50ml da amiga de uma amiga que recebeu o perfume do namorado e detestou… bom pra mim!
O perfume foi lançado em, 1992 e seu frasco era outro: tinha tampa, textura, era mais redondo. Foi relançado em 2002 com novo frasco: longilíneo, liso, daqueles que você demora para descobrir que fica ‘de pé’, e mesmo assim, morre de medo dele tombar e se arrebentar todo… Foi criado por Antonie Lie.
Ele é um perfume com cor: tem cheiro de verde! Cheiro de folha, cheiro de planta inteira. Tudo está ali: folhas, caule, florzinhas brancas, a água da rega.
Tem cheiro de folha esmagada, folha cortada, folha inteira. Tem cheiro de flores brancas ainda não desabrochadas, são flores brancas sem evidência na porção doce e narcótica. São virginais. Tem cheiro de caule verde, de talinho de mato. Tem cheiro de água limpa e fresca, mas sem parecer marítimo ou ozônico. É água limpa e refrescante, daquelas que não tem cheiro, mas acentuam o odor da planta regada, entende?
No fundo, tem breves notas de madeira de facetas adocicadas e verdes. Eu acho que na verdade o final dele cheira a lustra-móveis.
Notas de saída: lírio-do-vale, notas verdes.
Notas de coração: peônia, jasmim, jacinto.
Notas de fundo: sândalo, almíscar branco.
Apesar desta frescura toda, Parfum D’Ete não é um perfume fácil! Ele é de grande delicadeza, mas de personalidade forte. Muitas pessoas não gostam dele, já ouvi que ele ‘cheira a produto de limpeza’, que é enjoativo. Eu gosto deste jogo: é casto, limpo, puro, mas promete que vai desabrochar a qualquer momento. As flores vão entreabrindo de leve e o jasmim deixa um suave rastro orgânico e viciante, e para por aí. Virginal, mas não assexuado, é a promessa do que acontecerá depois…
Para mim, Parfum D’Ete cheira a elfo. Isso, elfo, daqueles do Senhor dos Anéis. Me diz aí, quem conhece o perfume e os livros/filmes, se Galadriel não tem tal aroma!
E para mim também é perfume de noiva…
     
Anúncios

17 comentários sobre “Parfum D’Ete, Kenzo

  1. Mais uma inimiga do calor….

    Linda resenha. Queria enxergar beleza no D´ete mas, para mim, não dá. Confesso que quando vi a folhinha horizontal, lembrei do lindo Summer. Esse sim, ainda terei!

    PS: adorei a primeira foto. Linda!!

  2. Olá, Diana, tudeo bem? Bela resenha, fui até pesquisar sobre quem era Galadriel. Queria saber se esse aí é compartilhável? Como lhe disse, antes sou fã dos perfumes Kenzo. Abraço.

  3. A propósito ontem vi um pequeno bazar em uma magazine aqui da cidade, frascos originais com pequenos defeitos tipo embalagem amassada ou meio rasgada, tinha de tudo, desde Jean-Paul Gaultier, Davidoff até Dior e Kenzo. Uma tentação!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s